Green Bay Packers é o vencedor #SB45

Postado dia 07 de fevereiro de 2011 por Pedro Martinez

Finalmente ontem, dia 6 de Fevereiro de 2011, saiu…saiu o grande campeão do Super Bowl XLV. Depois de uma longa temporada, repleta de zebras e palpites ao acaso que nem passaram perto de acontecer uma franquia conseguiu o almejado anel e o lindíssimo troféu.

A cidade de Arlington, no Texas ficou totalmente pintada de verde e amarelo…e não era por causa do Brasil.

As duas equipes que protagonizaram a disputa, Pittsburgh Steelers e Green Bay Packers, entravam em campo quase como irmãos se pensássemos no seu passado oriundo: ambos são franquias que nasceram da união de travalhadores e operários que montaram um time. Packers, os empacotadores; Steelers, os metalúrgicos – representates da povo norte-americano que se esforça todo dia para sustentar sua família.

Mas de irmãos não tinham nada além.

Antes da partida começar a situação de cada um era bem diferente: Green Bay Packers era a equipe inexperiente, desde que a NFL existe foram 3 vezes campeões – antes da NFL ganharam 12, e depois da era Brett Favre ainda não tinham ido muito longe, sem contar que apenas dois jogadores da equipe tinham estado num Super Bowl. Já o Pittsburgh Steelers tinham muita história – haviam levado o caneco 6 vezes na Liga; o #QB Big Ben buscava o 4º anel; o #WR Hines Ward já fora MVP, e 25 de seus jogadores já haviam disputado uma final.

Alheio aos retrospectos, o que celebridades como Jennifer Aniston, Adam Sandler e George W. Bush viram foi bem diferente.

O mais experiente, Steelers, acabou por ser quem mais pecou.

O primeiro tempo foi inteiramente do Green Bay Packers. Começaram no kickoff chutando para o Pittsburgh que não conseguiram nem a primeira descida, mostrando que a defesa comandada por Clay Matthews não estava para brincadeiras. Já no drive inicial dos Packers o #QB Aaron Rodgers consegue o firstdown passando linda, e longamente para o #WR Donald Driver e ele continuaria acertando, e muito bem seus passes.

0 x 0 perdurou até os 4 minutos e 30, quando o #WR Jordy Nelson recebeu um passe de 26 jardas de Aaron Rodgers para abrir o placar. Depois disso, a bola foi para Pittsburgh e ali aconteceria um dos 3 turnovers que ajudaram a decidir o futuro do campeonato. Big Ben, o #QB dos 3 anéis, pressionado contra a parede, correndo risco de sofrer um safety, lançou de qualquer jeito para frente e o #FS Nick Collins interceptou – pela primeira vez na temporada, e correu diretamente para a endzone.

Steelers ameaçou reagir mas só o que conseguiram foi um FG de 33 jardas com o #K Shaun Suisham.

As notícias ruins começariam a aparecer então, para os dois times. Pittsburgh perderia o #WR Emannuel Sanders e o Green Bay veria seu #WR Donald Driver ir pro vestiário mais cedo.

E outra pior ainda vinham para o lado do #QB Big Ben contra o Steelers: o #CB Jarrett Bush intercepta um passe longo e trás Aaron Rodgers de volta ao campo e os torcedores do Green Bay vêem o placar aumentar com o #WR Greg Jennings, até então sumido.

Acabaria assim o primeiro tempo? 21 x 3? Nunca na história da NFL alguma equipe havia vencido o Super Bowl por mais de 10 pontos e se o ritmo continuasse assim a primeira vez aconteceria.

Mas Steelers não entrariam na história por isso e após alguns bons passes, e a lesão do ótimo defensor #CB Charles Woodson do Packers, conseguem um TD com o veterando #WR Hines Ward antes do primeiro tempo acabar que ainda dava chances aos donos da toalhinha infernais.

21 a 10.

Começaria então o Halftime Show da Bridgestone, tradicional dos Super Bowl. Após várias ediçôes de rock, finalmente voltou o pop. Black Eyed Peas desceram literalmente dos céus para um iluminadíssimo grande palco com roupas futuristas cheias de piscas espalhados em sincronia com bailarinos brilhando em verde começaram cantando o que seria um remix de 3 músicas próprias além uma do Guns N’ Roses com a participação do guitarrista Slash e outra do R&B Usher. A apresentação ficou emocionante quando se pode perceber que o palco na verdade, agora iluminado em vermelho, era em formato da palavra Love. Apresentação breve, porém marcante e inspiradora para o segundo tempo.

Steelers começou bem e parecia decidido a mudar a história do jogo tentando se tornar o único time a dar uma reviravolta num placar de 11 pontos e ser campeão. O #RB Rashard Mendenhall tratou de iniciar a pontuação rumo ao objetivo quase impossível e correu 8 jardinhas para marcar seu TD. Nessa altura as nuvens de positividade pairaram um pouco sob o céu do Steelers que além de encostar no placar melhoraram bastante na defesa e conseguiram conter bem os avanços do Packers. Tudo parecia diferente até essa altura, certo? Errado.

O mesmo Mendenhall, herói de outrora, tapou o lindo Sol que iluminava as boas ações do Steelers a soltou a carne quando não devia resultando em fumble, o 3º turnover do time que tinha mais experiência. Bobagem feita e ducha de água fria molhando Pittsburgh quando o #WR Greg Jennings do Green Bay recebeu um passe de 8 jardas vindo de Aaron Rodgers – jogada que praticamente carimbou que o #QB deveria ser o MVP do Super Bowl, se Packers confirmasse a vitória, já que ele converteu os 3 turnovers em TD.

Pensariam vocês que a essa altura o Steelers amuaria e desistiria, certo? Errado outra vez. Alma trabalhadora, como a de brasileiro, não desiste nunca e isso deixaria a emoção para o final. Tentando jogar nas últimas chances tudo o que não jogou na partida toda, o #QB Big Ben – que havia completado 25 de 40 passes para dois touchdowns e 2 interceptações, na raça, habilidade e correria dos companheiros levou o Pittsburgh a mais TD com o #WR Mike Wallace recebendo um passe de 25 jardas e a uma conversão de 2 pontos com o também #WR Antwaan Randle El. Eram só 3 pontos atrás.

Estragando com as esperanças do Steelers novamente Packers pontua através de um FG de 23 jardas do #K Mason Crosby, que seria o último ponto da partida.

Pittsburgh ainda teve a chance de entrar para a história. Se fizessem um TD e acertassem o XP passavam a frente no placar. Mas após 4 drives a favor, nada fizeram e saíram derrotados na partida.

Merecidamente então, como o próprio técnico do Steelers afirmou, o Green Bay Packers, que chegou aos playoffs como cabeça de chave número 6, por conta das inúmeras contusões que prejudicaram a equipe ao longo da temporada regular como Aaron Rodgers, Clay Matthews e Ryan Grant – que perderam partidas por lesões, mesmo menos experiente em Super Bowl venceu todos os seus jogos fora de casa nos playoffs e conseguiu conter o ataque comandado por Ben Roethlisberger, evitando o terceiro título em cinco anos de Pittsburgh e e se tornaram a segunda equipe a chegar na pós-temporada como cabeça 6 e levar o título (a outra havia sido justamente o Pittsburgh, em 2005).

O #QB Aaron Rodgers dos Packers foi escolhido o MVP do Super Bowl 45 completando 24 de 39 passes, sendo três deles resultantes em touchdowns, para 304 jardas aéreas.

Final: Green Bay 31 X Pittsburgh 25.

3 Comments For This Post

  1. Marcelo Batch Says:

    EH ISSO AE PACKERS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    essa eh pra vc Rafiusksss!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Steelosers!!!!!! kkkkkkkkkkk

  2. rafael Says:

    sofredor sempre torce pros outros neh ]onde estava o jaguaras no super bowl? e nos play offs? axo que estavam fazendo compras na 25 de março o comendo pipoca no cinema neh

    esses jaguars ta mais gatnho de madame kkkkkkkk

  3. Marcelo Batch Says:

    com certeza!!! mas o importe eh q num morreu na praia!! kkkkkkkkkkkkkkk

Leave a Reply

Anuncie Aqui

Fotos no Flickr

Veja + fotos

Anuncie Aqui
Curta o Diggers no FacebookAdicione o Diggers no Orkutsiga o Gravediggers

.

Fãs no Facebook