Arquivo | História

Tags: , , , , , ,

Miami Dolphins

Postado dia 01 de junho de 2010 by Pedro Martinez

Contiuemos então, depois de longos carnavais, a história dos times da NFL.

Hoje tudo a respeito do Miami Dolphins, os golfinhos de Miami, que também é uma equipe da Conferência Americana, Divisão Leste.

A trajetória

O Miami Dolphins é uma equipe profissional de futebol americano que reside na área metropolitana da cidade de Miami, no estado da Flórida. Mandam seus jogos no Sun Life Stadium, no subúrbio de Miami. O quartel general de treinamentos Miami Dolphins Training Facility fica em Davie, também na Flórida.

Os Dolphins entraram para a liga como parte da fusão da AFL com a NFL.

No estado da Flórida o Miami Dolphins é a mais antiga franquia esportiva presente em ligas profissionais americanas (a primeira franquia esportiva da Flórida foi o Miami Seahawks da AAFC em 1946).

A primeira aparição do time em um Super Bowl foi em 1971, na edição VI, a qual perderam para o Dallas Cowboys.

Em 1972 aconteceu o inédito: os Dolphins venceram todos os 14 jogos da temporada regular: uma temporada perfeita, já depois desses 14 ainda venceram 2 partidas de playoff e a única partida do Super Bowl.  Na NFL foi o único time a conseguir tal feito, que em outras ligas já havia sido alcançadas por Los Angeles Bulldogs (16-0-0, AFL) em 1937, Calgary Stampeders (14-0-0, CFL) em 1948 e Cleveland Browns (15-0-0, AAFC) também em 48.

Com mais um aparecimento em Super Bowl no ano de 1973, o qual também venceu, o Miami se tornou a primeira equipe da NFL a conseguir se classificar 3 vezes consecutivamente para a grande final do campeonato de futebol americano e a única a vencê-la 2 vezes.

Os maiores ídolos dos Dolphins incluem o lendário treinador Don Shula, o running back Larry Csonka, o quarterback Bob Griese e o imcomparável batedor de recordes, e também quarterback, Dan Marino.

As conquistas dos Dolphins são 2 campeonatos da NFL (1972 e 1973), 5 títulos da Conferência Americana AFC (1971, 1972, 1973, 1982 e 1984), 13 títulos da Divisão Leste (1971, 1972, 1973, 1974, 1979, 1981, 1983, 1984, 1985, 1992, 1994, 2000 e 2008) e 22 aparições em playoffs (1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1978, 1979, 1981, 1982, 1983, 1984, 1985, 1990, 1992, 1994, 1995, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001 e 2008.

A história

O Miami Dolphins foi fundado em 1966, depois que o advogado Joseph Robbie e ao ator Danny Thomas compraram um time da cidade por 7,5 milhões de dólares, em 1965. Mais tarde Danny vendeu sua parte para Joseph Thomas e assim o time surgiu. Uma votação foi realizada para a escolha do nome da franquia, com 1.000 diferentes opções form obtidos 19.843 votos. Dessas mil opções foram finalistas uma meia dúzia, dentre eles Mariners, Marauders, Mustangs, Missiles, Moons, Sharks ou Suns. Um comitê de autoridades locais acabou escolhendo Dolphins com 622 votos.

Curiosidade
A Senhorita Robert Swanson, de Miami nessa época havia ganho ingressos de graça para o resto da vida nos jogos dos Dolphin por ter previsto e acertado em cheio o vencedor e a contagem no placar de um jogo em 65 entre Notre Dame e a Universidade de Miami.

Os anos 1970 foram os memoráveis da franquia que alcançou os recordes de aparições e conquistas consecutivas de Super Bowl e onde venceram 3 disputas de Conferência e 5 disputas de Divisão. Além, é claro, de ser o ano da temporada perfeita da equipe.

Anos 1980 foi a época da linha ofensiva conhecida como os Killer B’s ou Assassinos B, composta por Bob Baumhower, Bill Barnett, Blackwood de Lyle, Kim Bokamper, Blackwood de Glenn, Charles Bowser, Doug Betters e Bob Brudzinski. Entre 82-83 a equipe que possuía os Killer B’s venceu de lavada os Patriots por 28-13, os Charges por 34-13 e os Jets por 14-0.

Essa famosa linha ofensiva foi a precursora da filosofia de controlar a posse de bola no ataque o máximo possível para pressionar o ataque adversário a errar devido a pressa de seus quartebacks em protagonizar TD’s em curtos espaços de tempos. Foi uma época marcada por várias temporadas jogando basicamente com corridas e forte defesa tendo um ótimo quarterback como fórmula para a vitória. Nessa época conquistaram 4 títulos de Divisão.

Os anos 1990 e 2000, enfim, são os anos de temporadas alternadas entre muito boas ou muito ruins (tiveram 7 aparições em playoffs e 4 títulos de Divisão) devido a fatores como desinteresse de apoio dos torcedores locais, dificuldades financeiras e aposento da grande estrela do time, Dan Marino.


As logos e uniformes

A logo e o uniforme do time são os mesmo desde a sua fundação. As palhetas de cores do Miami são o aqua e o laranja; em 1997  foi adicionada a cor marinho.

A logo consiste em um aro flamejante, representado o sol de Miami e no meio um golfinho saltando de capacete com a letra M escrita.

Em 1996 a cabeça do golfinho chegava perto mas não encostava no aro flamejante.

Já em 1974 decidiram por centralizar o golfinho e assim a cabeça do golfinho ficava sobre um pedaço do aro, dando a imprenssão de que o salto do golfinho encobriu até mesmo o sol.

E finalmente, a mudança mais substancial de revisão da logo ocorreu em 1997 quando o aro flamejante foi simplificado, o golfinho teve a pele escurecida e seu rosto ganhou uma expressão séria.

Os uniformes podem ser: capacete branco, camisa aqua, calça branca e meias aqua para jogar dentro de casa; capacete branca, camisa branca, calça branca e meias aqua para jogar fora de casa e capacete branco, camisa laranja, calça branca e meias laranjas como uniforme alternativo. As guarnições (linhas laterais das calças) são marinho. Após revisões em 1997, no uniforme também, o logotipo foi reorganizado proporcionalmente para parecer que o golfinho era tridimensional e as insígnias em torno do perímetro do aro flamejante foram removidas. Nos números adicionaram a sombra de uma gota da marinha. E esse é o uniforme utilizado até hoje.

As chearleaders

A compahia das líderes de torcida dos Dolphins foi criada em 1978 como as golfinhos Starbrite (em homenagem ao co-criador da compahia Starbrite Car Polish). As coreografias já foram de responsabilidade de June Taylor, o fundador e do seu colega famoso Jackie Gleason que conduziu o pelotão até se aposentar em 1990. Após isso criaram a Dolphin Dolls, um esquadrão de 125 meninas, dos 8 aos 18 anos que treinam e animam os jogos em casa.


Os estádios

Miami Orange Bowl: foi a casa do time de futebol americano universitário Miami Hurricanes. Foi inaugurado como Burdine Stadium em 1937. Em 1959 foi renomeado em homenagem a tradicional disputa de times universitários que têm o nome de Orange Bowl. Foi a sede principal dos Dolphins durante 20 anos (de 1966 até 1986). A primeira partida oficial dos Dolphins ocorreu em 2 de Setembro de 1966. Sediou partidas da Copa Ouro da CONCACAF, algumas partidas do campeonato de futebol das Olímpiadas de 1996, 5 Super Bowls (II 1968, III 1969, V  1971, X  1976 e XIII  1979) e shows como: Rolling Stones, Michael Jackson, Madonna, Pink Floyd e Prince.

O estádio tem capacidade para 74.177, mas pode receber até 80.000 em shows.

Sun Life Stadium: já foi chamado de Joe Robbie Stadium, Pro Player Stadium, Dolphins Stadium e Land Shark Stadium e é um estádio destinado a jogos de futebol americano, baseball, futebol e lacrosse. É a sede dos clubes Miami Dolphins (futebol americano) e Florida Marlins (baseball). O estádio já recebeu cinco edições do Super Bowl (XXIII 1989, XXIX 1995, XXXIII 1999, XLI 2007 e XLIV 2010) e duas do World Series (final do baseball) em 1997 e 2003. Inaugurado em 1987, o estádio tem capacidade para 75.540 espectadores.

Jogadores no Hall da fama

* Paul Warfield (1983)
* Larry Csonka (1987)
* Jim Langer (1987)
* Bob Griese (1990)
* Larry Little (1993)
* Don Shula (1997)
* Dwight Stephenson (1998)
* Nick Buoniconti (2001)
* Dan Marino 13 (2005)

Dan Marino

Daniel Constantine “Dan” Marino, Jr. nasceu em Pittsburgh, Pensilvânia, no 15 de setembro de 1961 e atuava na posição de quarterback.

Marino foi o último quarterback selecionado na primeira rodada do Draft da NFL em 1983 e se tornou um dos melhores QBs na história da liga, com vários recordes alcançados em várias estatístas na NFL. Nunca venceu um Super Bowl e é adimirado pela peculiaridade de seu quick release eficiente e por ter um braço poderoso.

Ele estudou na St. Regis Catholic Elementary School e depois mudou para a Central Catholic High School em Pittsburgh, onde jogou beisebol.

Jogou futebol americano universitário na University of Pittsburgh de 1979 a 1982.

Marino como calouro liderou os Panthers em uma vitória sobre West Virginia por 24 a 17, partida a qual lançou para 256 jardas e correu para 40.

Em 1983, no mês de janeiro, um time de Los Angeles selecionou Marino no draft da United States Football League mas ele nunca assinou um contrato com eles.

Assim os então campeões daquele ano na American Football Conference, os Dolphins selecionaram Dan como o 27º pick no Draft de 1983. Depois de começar a primeira temporada como reserva do QB David Woodley, Marino começou seu primeiro jogo como titular na 6ª semana contra o Buffalo Bills no Orange Bowl.

Foi o primeiro QB rookie a começar um jogo de Pro Bowl.

Marino teve uma das melhores temporadas de um quarterback na história da NFL em 84 tendo quebrado seis recordes diferentes
passando a bola
, entre eles:  o recorde de mais passes para touchdown numa temporada com 48 e de maior número de jardas aéreas com 5084 naquela temporada.

Além disso, foi eleito o Most Valuable Player daquele ano.

Em sua carreira como profissional na NFL entre os anos dee 1983–1999) em Miami, Marino foi um dos quarterbacks mais técnicos, habilidosos e respeitados dos EUA. Ele nunca teve muita habilidade no scramble Marino mostrava muita inteligência, percepção e consciência no pocket se esquivando dos pass rushers com facilidade.

Dan tem o maior número de viradas no último periodo na história da NFL, sendo ao todo 36, e o terceiro maior número de vitórias por um quarterback  titular, ao todo 147.

Fora selecionado para 9 Pro Bowls, de 1983 a 1987, 1991 e 1992, 1994 e 1995, sendo 7 vezes como titular, mas por causa de algumas contusões ele só atuou em duas partidas, a 1984 e a 1992.

Também fora nomeado como First Team All-Pro oito vezes e recebeu as honras de All-AFC seis vezes.

Marino terminou a carreira com 420 touchdowns e 61,361 jardas.

Enfim, em 1999, Dan Marino foi rankeado n° 27 pela revista The Sporting News na lista dos 100 Maiores Jogadores de Futebol
Americano de todos os tempos
, sendo ele o jogador dos Dolphins mais bem rankedo.

E essa foi a história dos Dolphins.

Aguardem os próximos sobre os outros 2 times da Conferência Americana, Divisão Leste.

Comentários (0)

Tags: , , , , , ,

Buffalo Bills

Postado dia 08 de março de 2010 by Pedro Martinez

A série sobre a história dos times da NFL começa nesse momento.

Iremos viajar pelo leste dos Estados Unidos e conhecer o Buffallo Bills, um dos quatro times da Conferência Americana, Divisão Leste.

A Trajetória

O Buffalo Bills é uma franquia que se localiza numa cidadezinha-subúrbio do estado de Nova York, Búfalo, que dá nome a equipe.

Jogam como Buffallo Bills desde 1960, ano da fundação do time com este nome. Só entraram para a NFL em 1970 com a honra de terem sido duas vezes campeões da antiga AFC, a Liga Americana.

O Bills é a única equipe a conseguir 4 títulos consecutivos de campeão da Conferência Americana e consequentemente, a única equipe a conseguir ir 4 vezes ao Super Bowl, apesar de ter perdido todas essas.

Outro recorde indispensável de se comentar é o de ser a equipe que detém a única virada histórica da NFL quando venceu por 40 a 38 o time do Houston Oilers, que tinha contruído o placar de 35 a 3 sobre os Bills nos primeiros quartos de jogo. Detalhe para o jeito que a vitória aconteceu: com muita superação visto que o quarterback reserva Jill Kelly, que entrara no lugar de Frank Reich, que levou o time a vitória junto com running back Kenneth Davis, que entrara no lugar do lendário Thurman Thomas, jogador presente no Hall da Fama do esporte.

Uma peculiaridade dos Bills é também é a única equipe a ter mandado jogos fora do país, no Canadá, onde pelo menos uma vez por temporada, realizada sua partida em Toronto.

As últimas temporadas do Buffallo Bills vem sendo uma espécie de tentativa de rendenção pela fase ruim que o time enfrenta desde que entrou para a NFL na época da fusão com a AFC. Por causa disso, inclusive, há alguns rumores de que a franquia se realocaria na liga canadense mas o apoio da torcida da região do subúrbio é intenso e o rumor não passa de mera especulação.

Os títulos dos Bills são 2 campeonatos da antiga AFL (64 e 65), 4 títulos de Conferência pela antiga AFC (90, 91, 92 e 93), 10 títulos de Divisão sendo 3 pela AFL Leste (64, 65 e 66) e 7 pela AFC Leste (80, 88, 89, 90, 91, 93 e 95) e 17 aparições em playoffs sendo 4 pela AFL (63, 64, 65 e 66) e 13 pela NFL (74, 80, 81, 88, 89, 90, 91, 92. 93, 95, 96, 98 e 99).

A História

Em 1918 a franquia era conhecida e foi fundada com o nome de Buffalo Niagaras mas a mesma jogou com vários outros nomes além desse (um dos mais famosos foi o nome Buffalo All-Americans que jogou entre 1920 e 1923). Na década de 20, era uma das equipes top no esporte.

Quando conquistou os dois títulos da antiga AFC (American Football League), em 38, mudaram o nome para Buffalo Indians; nome que durou somente por 2 temporadas devido a chegada da Segunda Guerra Mundial.

Com o fim da Guerra, e formação da antiga AAFC (All-America Football Conference) os Bills montaram um novo time que agora se chamava Buffalo Bisons, mas o problema é que este nome era o mesmo do time de beisebol e do time de hóquei da cidade.

Então, em 1947, decidiu-se fazer uma espécie de plebiscito na cidade, onde seria escolhido um nome como sugestão para o time; algo que desse uma identidade para o time de futebol americano de Búfalo. O nome escolhido foi Buffalo Bills, que não foi usado prontamente utilizado.

Mas finalmente, quando a AAFC se fundiu com a NFL em 50, o antigo Buffalo Bisons se juntou ao Cleveland Browns. Búfalo começou a montar outro time, que mais tarde, em 1959, seria o Buffalo Bills que é hoje.

E vale ressaltar que o Cleveland Browns não tem nenhuma ligação com o Bills do presente.

?Quem foi Buffalo Bill?

Nascido em 26 de Fevereiro de 1946, Buffalo Bill, que na verdade se chamava William Frederick Cody foi um aventureiro americano – o mais famoso deles, do estado do Iowa.

Na época em que ele era jovem uma estrada de ferro estava sendo construída através das planícies de seu estado então, começou a trabalhar como fornecedor de carne para os operários na estrada de ferro. A carne que ele oferecia era de búfalo. Matou milhares de búfalos num curto espaço de tempo, ficando por isso com a alcunha de Buffalo Bill.

Além disso, depois que conquistou grande fama pela matança de búfalos decidiu seguir a carreira artística e em 1883 contrata alguns índios e vaqueiros para criar uma espécie de circo móvel com temática a respeito do Oeste Selvagem, que mais tarde seria mundialmente conhecida como Buffalo Bill’s Wild West Show.

Buffalo Bill é uma lenda para os norte-americanos.

A logo e os uniformes

Em 1960 as cores da equipe eram azul royal, branco e prata muito parecida com as tonalidades do Detroit Lions. O uniforme 1 era camiseta azul com números prata e o uniforme 2 era camiseta branca com número azul. Os capacetes eram todos em prata e números em azul.

Em 62, um bisão vermelho em pé foi utilizado com um capacete branco. Também mudaram-se as cores oficiais: vermelho, branco e azul. A equipe usava bastante o uniforme de camiseta azul com listras vermelhas e brancas sobre os ombros. O segundo uniforme era camiseta branca com listras vermelhas sobre os ombros.

Em 65, vermelho e listras azuis no centro foram colocadas nos capacetes.

73 foi o último ano do bisão em pé já que no ano seguinte ele seria substituído por um bisão de carregamento na cor azul com uma listra vermelha inclinada saindo de seus cifres. As grades do capacete foram azuis de 73 a 86, quando se tornaram brancas.

Em 84, a cor de fundo do capacete passou para vermelho para que os Bills se diferenciassem dos rivais Indianapolis Colts, Miami Dolphins e os New England Patriots que usavam capacete branca na época.

Em 2002 a mudança foi radical. O uniforme 1 ganhou um azul bem mais escuro e a camiseta branca, uniforme 2, agora teria uma faixa vermelha nas laterais e um faixa azul acima, nos ombros, na frente e atrás. O capacete agora todo vermelho e o bisão azul marinho.

A uniforme têm sido este desde então.

Além desse, em 2005 um uniforme alternativo foi criado lembrando o uniforme da década de 60.

Os jogos em casa são com o uniforme azul escuro e os fora de casa com uniforme branco.

Quando jogava em casa o Bills sempre usava azul.

Os estádios

War Memorial Stadium é um construção de posse do Governo dos Estados Unidos em 1937. A sua capacidade era de 35.000 pessoas, número que aumentou após algumas reformas para 46.500 pessoas. Durante a construção do novo estádio até então, o Ralph Wilson Stadium, decidiram abrir mãos das contas do War Memorial devolvendo a responsabilidade ao Governo. Ele foi usado pelos Bills de 60 até 72.

Ralph Wilson Stadium é um estádio que foi inaugurado pelos Bills em 73. Sua capacidade é de 73.637 pessoas e é elogiado pelos torcedores por possuir cadeiras mais largas e mais luxuosas. O estádio já abrigou até um show do Led Zeppelin em 77.

Rogers Centre é um estádio localizado em Toronto, no Canadá, onde uma vez por ano o Bills realiza um jogo da temporada regular. Tem capacidade para quase 69.000 pessoas e recebe, além de jogos de futebol americano, partidas de beisebol e grandes concertos. A obra para sua construção custou R$600.000 de dólares.


Jogadores no Hall da Fama

* O. J. Simpson (1985)
* Billy Shaw (1999)
* Marv Levy (2001)
* Jim Kelly (2002)
* James Lofton (2003)
* Joe DeLamielleure (2003)
* Thurman Thomas (2007)
* Bruce Smith (2009)
* Ralph Wilson (2009)

O. J. Simpson

Orenthal James foi um running back muito famoso. Foi draftado pelos Bills em 1969. É o primeiro jogador do Buffalo Bills a entrar para o Hall da Fama Profissional da NFL.

Sua carreira no esporte começo na University of Southern California onde ele jogou entre 67 e 68. Simpson liderou o ranking nacional de corridas em 67 quando correu 1.451 jardas e marcou 11 touchdowns. No ano seguinte, liderou o mesmo ranking, agora com 1.709 jardas percorridas de 355 bolas carregadas.

Em 69, na disputa do Rose Bowl contra Ohio State, Simpson correu 171 jardas e marcou um touchdown de 80 jardas.

Seu primeiro recorde de jardas percorridas aconteceu em 72, quando correu para mais de 1.000 jardas, em um total de 1.251. Logo em seguida, em 73, correu 2.003 jardas marcando 12 TD’s e assim se tornou o primeiro jogador da história a ultrapassar a marca de 2.000 jardas na carreira.

De 72 a 76, Simpson corria em média 1.540 jardas por temporada, 5.1 jarda por carregada. Conquistou o título de Melhor Corredor da NFL por 4 vezes. Teve seu melhor jogo na carreira contra o Detroit Lions, na partida do Dia de Ação de Graças, em 76, quando correu para um então recorde de 273 jardas em 29 tentativas, marcando 2 touchdowns.

Em 77, acabou foi cortado do Bills por lesão e em 78, depois de ser vendido para o San Franciso 49ers correu mais duas temporadas normais, sem grandes recordes e encerrou a carreira.

Ao total na carreira O. J. Simpson correu 11.236 jardas, ocupando assim o 2º lugar de maior running back da história da liga. Foi escolhido como Jogador do Ano em 73 e jogou em 6 Pro Bowls. Foi o único jogador da história a correr mais de 2.000 jardas e único a correr 200 jardas em 6 diferentes jogos.

Foi indicado ao Hall da Fama Profissional em 85, o seu primeiro ano de elegibilidade para o mesmo.

O apelido “O. J.” é a abreviatura informal de Orange Juice. Juice é sinônimo coloquial de eletricidade ou de energia elétrica e, portanto, uma metáfora para qualquer entidade poderosa. A linha ofensiva a qual Simpson fazia parte nos Bills era chamada de The Electric Company.

E essa foi a história do Buffalo Bills.

Em breve a história dos outros 3 times da Divisão Leste da Conferência Americana. Aguardem. Por hoje é só, pessoal!

Comentários (1)

Tags: , , , , , , ,

A história da NFL

Postado dia 02 de março de 2010 by Pedro Martinez

Em breve iniciarei uma série de posts sobre cada um dos times da NFL conferência por conferência e divisão por divisão. Mas antes disso é preciso falar sobre como surgiu a National Football League especificamente. Vamos a ela então.

A História

Jim Torphe, considerado um dos atletas mais versáteis do século XX, praticante de basquete, handebol, hóquei, arco e flecha, tiro, natação, canoagem, tênis, squash, hipismo, futebol americano e beisebol e também medalhista olímpico no pentatlo e decato em 1912 foi o idealizador da criação da Liga Nacional de Futebol Americano.

Na época ele era técnico do Canton Bulldogs e do Leo Lyons, além de ser dono da equipe Rochester Jeffersons, equipes que disputavam a Ohio League.

Ao ver o sucesso estrondoso da Major League Baseball pensou em fazer o mesmo com os times de futebol americano, mas teve sua idéia adiada devido ao início da Primeira Guerra Mundial e a infestação de gripe espanhola.

Década por década

Formalmente criada com o nome de American Professional Football Association, em Agosto de 1920, era composta por 11 equipes, dentre elas os times da Ohio League, da Buffalo All Americans, a Rochester da New York League, um time de Detroit e um de Hammond. O presidente eleito da liga foi o próprio Jim Torphe.

Nesses primórdios da NFL apenas 4 times disputaram todos os jogos do calendário imposto.

A liga foi chamada de American Professional Football Association por apenas 2 temporadas, as quais, inclusive, só 2 equipes daquela época existem até hoje: o Chicago Cardinals, atual Arizona Cardinals e o Decatur Staleys, atual Chicago Bears. O Green Bay Packers existia desde muito antes disso, 1919, mas somente entrou para a liga em 1921.

A partir de 1922 mudou-se definitivamente o nome para National Football League então.

Em 1933 foi o ano das grandes mudanças na NFL principalmente com relação as regras: antes eram seguidas as regras do futebol americano universitário. Também nesse ano houve a divisão das equipes em conferências leste e oeste além da implementação do sistema de playoffs. O sistema de draft para a contratação de jogadores também foi idealizado nesta época.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial em 46, para rivalizar com a NFL, criam a All-America Football Conference (AAFC) que não atraía muito público devido ao amplo domínio do Cleveland Browns sobre as outras e acabou em 1949.

Assim, acontecia a primeira fusão da NFL com a AAFC em 1950, ano em que Cleveland Browns, o Baltimore Colts e o San Francisco 49ers entraram para a NFL.

Ainda nesse ano, inclusive, o Los Angeles Rams teve o primeiro jogo de futebol americano televisionado da história.

O futebol americano começou a conquistar popularidade com um jogo em 1958 que decidia o campeonato – uma espécie de Super Bowl jurássico, que conquistou recordes de audiência pela emoção que a partida teve sendo decidida na prorrogação.

Até então o futebol americano universitário era mais popular que o profissional.

A AFL (American Football League) foi criada nos anos 60 para introduzir o jogo profissional nas outras regiões do país e também vinha para competir com a NFL. Como organizar uma liga única era muito caro de se fazer ambas ligas tinham que conviver em trégua. Mas quando o New York Giants em 65 assinou contrato com Pete Gogolak da AFC e considerado o chutador mais revolucionário da história da liga, tudo mudou. Depois disso, diversos jogadores da NFL assinaram com equipes da AFL e vice-versa, então a NFL começou a levar mais a sério a concorrente.

Enfim, em 66, as duas decidiram se juntar em uma única liga com duas conferências – 10 times da AFC mais alguns da NFL foram alocados a AFC/Conferência Americana e os times restantes da NFL viriam a fazer parte da NFC/Conferência Nacional, e a final que mostrava o campeão da temporada seria através de um jogo a cada ano, o Super Bowl.

Com duas grandes ligas juntas o futebol americano profissional cresceu consideravelmente fazendo com se tivessem mais divisões por conferência aumentando assim o número de times que disputavam os playoffs. O único campeão invicto que a liga viu foi o histórico Miami Dolphins de 72. Em 77 a liga ganhou mais dois times: o Seattle Seahawks e o Tampa Bay Buccaneers. Com 28 times na liga, número esse que foi meta estabelecida na época da fusão, em 78 então os playoffs conteram 10 times com sitema wildcard (times melhores colocados que não conquistaram  o título de sua conferência também se classificariam para os playoffs) incluído.

Entre 82 e 87 alguns times fizeram greve e isso fez a liga ter de mudar, provisóriamente, seu sistema de playoff. Em 88 o Cardinals se transferia de St. Louis para Phoenix.

Em 90 os playoffs passaram a ter 12 equipes em disputa com a adição de mais 2 classificados como wildcard. Em 95 entraram para a liga Carolina Panthers e do Jacksonville Jaguars. Nesse mesmo ano foram realocadas duas equipes: de Los Angeles, o Rams se transferiu para St. Louis e o Raiders, de Minneapolis se transferiu para Oakland. Em 97 os Oilers mudaram-se de Houston para Nashville e se transformaram em Tennesse Titans.

E finalmente, no ano de 2000 as mudanças mais significantes e históricas foram um reagrupamento de 3 para 4 divisões por conferência e o ingresso do Houston Texans como a 32ª equipe da liga.

As equipes

O sistema de playoffs

Os comissário, os presidentes e os escritórios da Liga

  1. Presidente Jim Thorpe (1920 – 1921)
  2. Presidente Joseph Carr (1921 – 1939)
  3. Presidente Carl Storck (1939 – 1941)
  4. Comissionário Elmer Layden (1941 – 1946)
  5. Comissionário Bert Bell (1946 – 1959)
  6. Presidente Interino Austin Gunsel (1959-1960)
  7. Comissário Alvin “Pete” Rozelle (1960 – 1989)
  8. Comissário Paul Tagliabue (1989 – 2006)
  9. Comissário Roger Goodell (2006 – até hoje)
  • Canton, Ohio (1920 – 1921)
  • Columbus, Ohio (1921 – 1941)
  • Chicago, Illinois (1941 – 1946)
  • Philadelphia, Pensilvânia (1946 – 1960)
  • New York, Nova York (1960 – até hoje)


As taças e os prêmios por equipe e individuais em disputa

  • Vince Lombardi Trophy – entregue ao ganhador do Super Bowl, em memória do tecnico do Green Bay Packers que conquistou os Superbowl I e II, Vince Lombardi.
  • Lamar Hunt Trophy – entregue ao campeão da AFC, em memória do fundador dos Kansas City Chiefs e bandeirante de futebol americano profissional, Lamar Hunt.
  • George S. Halas Trophy – entregue ao campeão do NFC, em memória do jogador e tecnico dos Chicago Bears, George Halas.
  • Most Valuable Player (MVP) – entregue ao “Jogador de Maior Valor”, ou jogador de mais destaque e impacto na temporada regular.
  • Coach of the Year – entregue ao melhor tecnico do ano.
  • Offensive Player of the Year – entregue ao melhor Jogador Ofensivo da NFL.
  • Defensive Player of the Year – entregue ao melhor Jogador Defensivo da NFL.
  • Offensive Rookie of the Year – entregue ao melhor jogador Ofensivo em seu primeiro ano na liga.
  • Defensive Rookie of the Year – entregue ao melhor jogador Defensivo em seu primeiro ano na liga.
  • Super Bowl MVP – entregue ao “Jogador de Maior Valor”, ou jogador de mais destaque e impacto no Super Bowl.
  • NFL Comeback Player of the Year – entregue ao jogador que retorna após temporada ausente ou presença pífia na temporada anterior
  • Walter Payton Man of the Year Award – entregue ao “Homem do Ano”, pelo o trabalho de caridade, em memória de Walter Payton, craque eleito em 1975 – 1987, considerado cavalheiro e embaixador do jogo.

Aguardem os próximos posts sobre cada equipe da National Football League.

Comentários (0)

Anuncie Aqui

Fotos no Flickr

Veja + fotos

Anuncie Aqui
Curta o Diggers no FacebookAdicione o Diggers no Orkutsiga o Gravediggers

.

Fãs no Facebook