Arquivo | setembro, 2011

Tags: , , ,

Diggers parte para o embate contra o Taurus

Postado dia 30 de setembro de 2011 by Pedro Martinez

O Campo Grande Gravediggers já tem mais uma partida marcada para acontecer neste final de semana, mas dessa vez a batalha será fora de casa, lá na distante Tangará da Serra, cidade do nosso vizinho Mato Grosso.

O jogo acontece amanhã, dia 1º de Outubro ás 14h em Tangará da Serra contra a equipe do Tangará Taurus, recém fundada em Mato Grosso e já considerada uma das 3 grandes esquipes do seu Estado.

Será uma saudável disputa inter-estadual que já tem previsto até um jogo de volta.

Os treinamentos vêm acontecendo há meses e o preparo promete surtir um efeito satisfatório em campo, espera-se.

A retrospectiva de jogos fora de casa do Diggers é de derrota mas abaixar a cabeça não é opção de nossa equipe que terá empenho de sobra em busca de vitória, para juntá-la com todas as outras glória já conquistadas até aqui.

O Diggers viaja hoje, sexta, 30 de Setembro as 21h e regressa no domingo, dia 2 de Outubro, com o que torcemos ser um resultado positivo.

A equipe encara esse novo desafio com o apoio da Gestão Ativa, Wizard, Gol de Placa e FUNDESPORTE.

 

O elenco que enfrenta o Tangará Taurus é formado por:

MARCELO ALVES BATISTA     #WR/H
ANDRÉ DE SÁ EARP PAGLIARELLI     #MLB
FERNANDO GIMENEZ SANTIAGO     #CB/FS
LUCAS DAS NEVES MATOS     #SS
LUCAS FRANCES     #FS
FELIPE BATISTA VALERIANA DOMINGUES     #DE
SILVIO JOSÉ DA COSTA TORRES     #G
EPAMINONDAS MINERVINI GARCIA TERRA     #DT
RAFAEL ALVES SOARES DOS SANTOS     #G/DT
GABRIEL RODRIGUES MANDU     #LB
JOÃO GABRIEL BRIZUEÑA     #DT
CAIO FERREIRA     #OLB
EDUARDO FRANCISCO CASTRO FILHO     #RB
WILLIAN RIBEIRO IDE     #SS
ANDRÉ FELIPE MARTINS BORGES     #WR/PKR
KENNETH COELHO CORREA     #OT
FLAVIO ROBERTO MAGALHÃES DE OLIVEIRA     #CB
RICARDO RAMALHO     #FB
ROBSON ALVES DA SILVA     #WR
GUILHERME HOLLO DE ANDRADE     #LB
ROBERTO GALVÃO     #DT
DIEGO ADANIA ZANONI     #RB/P
GILMAR SIMIOLI JUNIOR     #QB
MARCELO AUGUSTO BOER     #CB
ALEXANDRE YUZO HIGA GARGIONI     #G
DIEGO TELES CADETTE     #LB
RENATO DA CUNHA DAVET     #LB
DANIEL DA CUNHA FREITAS     #DT
KELVIS DIAS     #OT
JOÃO VAZ GUIMARÃES FILHO     #WR
WESLEY YUKI AJIKI BRANDÃO     #QB
GIULIANO BANAR PLEUTIN     #C
WALDECIR DOS SANTOS VERA     #G
NEWTON ERRINSON SILVA     #TE
BRUNO DAMUS     #TE
ATILA VILHENA     #CB/K

Comentários (1)

Tags: , , ,

Semana 12 TTD 2011 Resultados

Postado dia 19 de setembro de 2011 by Pedro Martinez

Ponta Grossa Phantoms X Santos Tsunami

Dá pra resumir a partida com uma palavra: jogão. O Ponta Grossa Phantoms (2-2) venceu o Santos Tsunami (1-2) na tarde do último domingo (18/09) pelo placar de 34 a 32. O jogo aconteceu no campo do Olinda Esporte Clube, no interior do Paraná. O mandante buscava uma vitória para se firmar na competição. Já o time paulista tentava se reerguer no campeonato após uma derrota contra o Corupá Buffalos. A partida foi marcada por boas corridas e passes longos, além de uma pequena confusão no final.

O jogo começou quente e logo no início o Santos abriu o placar. Após o Phantoms recuperar um fumble bem próximo à end zone, o quarterback #28 Ribas tentou um passe lateral e foi interceptado pelo linebacker #58 Rodrigo Carrera, que correu as 15 jardas que restavam para alcançar a end zone com facilidade, marcado o touchdown. Com a conversão do ponto extra pelo kicker #7 Wallace, o placar ficou 7×0 a favor dos visitantes.

O Ponta Grossa Phantoms demorou a mostrar reação, mas ela veio após uma interceptação cometida pelo cornerback #34 Cesar na linha de 33 jardas do campo de defesa do mandante, já no segundo quarto. O Phantoms apostou nos running backs #19 Amazonas, #22 dos Santos e #23 Alexandre e, com oito corridas (inclusive duas corridas do QB #28 Ribas, uma de 16 e uma de sete jardas), o Phantoms conseguiu a 1&goal (primeira para touchdown) na linha de 10 jardas. Com mais uma corrida, o RB #22 dos Santos avançou 10 jardas e marcou o touchdown. Na tentativa de conversão de dois pontos, a bola parou muito próxima a end zone (o head coach do Phantoms, Alan Meister, chegou a alegar que a bola tinha entrado), mas nada feito. Ponta Grossa Phantoms 6×7 Santos Tsunami.

Não deu nem tempo de comemorar e o Tsunami já respondeu à altura: no retorno do kickoff, a bola parou na linha de 24 jardas de ataque dos visitantes. Na sequência, um passe de 13 jardas para o wide receiver #10 Usain deixou a equipe a 11 jardas da end zone. No entanto a defesa do Phantoms conseguiu segurar duas das três tentativas de passe do adversário, que optou pelo field goal na quarta descida. O kicker #7 Wallace acertou a baliza a uma distância de 33 jardas e ampliou a vantagem. Ponta Grossa Phantoms 6×10 Santos Tsunami.

O Phantoms virou a partida na metade do 2º quarto, em um drive que já parecia perdido. Na linha de 38 jardas de ataque do Phantoms, um snap sai muito alto e a bola cai 24 jardas para trás. Mas uma corrida de 15 jardas do RB #19 Amazonas deu ao Phantoms uma 3&20. A sequência, o QB #28 Ribas conectou um passe de 40 jardas para o wide receiver #20 Coléte, que sofreu o tackle na linha de sete jardas de ataque. Na 1&goal, o RB #19 Amazonas resolveu: corrida de sete jardas e touchdown para o Ponta Grossa Phantoms, que não teve sucesso na conversão de dois pontos. Vira-vira no placar em Ponta Grossa: Phantoms 12×10 Tsunami.

Já no 3º quarto, o Santos conquistou uma 1&10 na linha de 32 jardas de defesa, após forçar o fumble em cima do running back #10 Rocha, do Phantoms. Na primeira tentativa, um passe de 10 jardas conectado para o running back #31 Fábio, que preferiu a rota pelo meio sem a bola e conseguiu uma boa recepção. Na sequência o Tsunami tentou alcançar o first down com duas corridas e um passe, mas não teve sucesso. O punt saiu na linha de 45 jardas de defesa do Santos. Na primeira tentativa do Phantoms, a linha ponta-grossense abriu uma excelente trincheira, permitindo que o RB #10 Rocha avançasse 55 jardas e parasse só dentro da end zone. Na conversão de dois pontos, o quarterback reserva #7 Alexey conectou um passe na lateral direita para o WR #88 Camacho, que deixou o placar em Ponta Grossa 20×10 Santos.

O Santos respondeu com outro bom retorno no kickoff, que só parou na linha de 25 jardas de ataque. No entanto a defesa do Ponta Grossa Phantoms estava ligada e não permitiu o first down. O Santos, então, converteu um field goal de 34 jardas com o kicker #7 Wallace. Ponta Grossa 20×13 Santos.

Depois do field goal, o Phantoms prevaleceu em campo. Após um punt da equipe visitante cair na linha de 39 jardas de ataque, o QB #7 Alexey conectou um passe de 22 jardas para o wide receiver #83 Harley, que deixou o time a 17 jardas do touchdown. Harley resolveu, então, com um reverse: correu 17 jardas e entrou com tranquilidade na end zone adversária. Sem sucesso na conversão, o Phantoms ampliou o placar para 26×13 ao seu favor.

O Phantoms continuava apostando nos running backs. Após #10 Rocha, jogando de safety, conseguir uma interceptação na linha de 16 jardas de defesa, em cinco corridas o Phantoms já estava a nove jardas da end zone, em uma 2&5. Então o time da casa encaixou mais um reverse, dessa vez com uma corrida wide receiver #20 Colleti que avançou nove jardas e alcançou o touchdown. A conversão de dois pontos veio com uma corrida do estreante #31 Feijão. O placar, então foi para 34×13 a favor do Ponta Grossa Phantoms.

Não existe jogo perdido:

Com a vantagem de 21 pontos, jogo parecia estar resolvido a favor do Phantoms. Mas só parecia. Logo na primeira tentativa de descida após o último touchdown do Phantoms, o QB #8 Junior conectou um belo passe de 41 jardas para o WR #10 Usain, deixando o time a 22 jardas da end zone. Após dois passes incompletos, a equipe da casa cometeu uma personal foul: aqui, 11 jardas separavam o Santos do touchdown. Com mais um passe para o WR #10 Usain, o Santos conseguiu chegar até a end zone e anotar o TD. A conversão de dois pontos não foi boa, mas a vantagem do time da casa diminuiu: Ponta Grossa Phantoms 34×19 Santos Tsunami.

A ‘luz-no-fim-do-túnel’ apareceu para o Santos faltando menos de quatro minutos para o fim do último quarto, após o QB #7 Alexey tentar uma corrida e sofrer o fumble, recuperado pelo time paulista na linha de 43 jardas de defesa. Se, de um lado, as corridas funcionaram para o Phantoms, o Tsunami conseguiu se sair bem com os passes, do outro lado. Com cinco tentativas de passe (quatro delas com sucesso), o Santos chegou até a linha de 28 jardas de ataque. Com mais um passe, agora com o running back #31 Fábio atuando como WR, o Santos avançou as jardas restantes e conseguiu o touchdown, o que deixou a vantagem do time da casa em apenas uma posse de bola, após o ponto extra ser convertido pelo K #7 Wallace. Ponta Grossa Phantoms 34×26 Santos Tsunami.

Na sequência veio o onside kick, que foi bem recuperado pelo Santos Tsunami: pegou a bola do chão e encaixou uma corrida que só parou na linha de 22 jardas de ataque. Após a jogada, uma personal foul contra o Phantoms, que levou a bola para metade da distância para o goal. Com a defesa do Phantoms ainda meio ‘atordoada’ com a recuperação do adversário do placar, o QB #8 Junior, do Santos, conectou um passe de 11 jardas para o WR #10 Usain, que anotou o touchdown. Se no começo do jogo a reclamação foi do Phantoms pela conversão ter quase entrado, agora foi a vez do Tsunami: a bola ficou a poucas polegadas da end zone, mas também não entrou. Ponta Grossa Phantoms 34×32 Santos Tsunami.

O final eletrizante ainda estava por vir: após o Phantoms recuperar o onside kick, bastava um first down para acabar o jogo, já que a partida estava no two minute warning. No entanto ele não veio, mais uma vez por poucas polegadas. Com a bola na linha de 37 jardas de defesa e com 18 segundos do fim, o Santos conseguiu um passe de 57 jardas com o WR #31 Fábio, o Santos ficou a nove jardas do touchdown com 4 segundos no relógio e somente dois pontos atrás no placar. Optaram, então, pelo field goal, de 27 jardas. O chute foi bloqueado pelo defensor #35 Roni, do Phantoms, e na sequência a defesa do time da casa recuperou a bola. Em seguida, uma confusão no gramado: jogadores do Santos Tsunami alegaram um off side do Phantoms, no mesmo momento que jogadores do Phantoms alegaram uma formação ilegal da linha do Tsunami.

Na comemoração da recuperação de bola, alguns jogadores do Santos tiraram o capacete dentro de campo, o que caracteriza uso ilegal de equipamentos. Após a confusão, o juiz deu o parecer final: “Off side Ponta Grossa Phantoms, seguido de formação ilegal da linha: anulam-se as faltas. Após a jogada, uso ilegal de equipamentos pelo Ponta Grossa Phantoms, penalizado na próxima tentativa de descida”. Com isso, bastou ao Phantoms se ajoelhar e decretar o fim de jogo: Ponta Grossa Phantoms 34×32 Santos Tsunami, o melhor jogo do Torneio Touchdown 2011.

O Ponta Grossa Phantoms joga a sua vida no campeonato contra o Palmeiras Locomotives no dia 23 de outubro, em Cerquilho-SP. Já o Santos Tsunami volta a campo contra o Jaraguá Breakers, no dia 16 de outubro, em Jaraguá do Sul-SC, precisando ganhar se quiser avançar para o wild card.

Destaques:

Pelo lado do Santos Tsunami a dupla QB/WR fez a diferença: o quarterback #8 Junior conseguiu acertar 60% dos passes (21/35), lançando para 256 jardas e conectando 3 passes para touchdown. O wide receiver #10 Usain que também fez bela partida, marcando duas vezes, foi o mais procurado pelo QB.  No time da casa, a dupla de running backs foi essencial: Rocha #10 correu 91 jardas e anotou um touchdown, enquanto #19 Amazonas correu 57 jardas e também marcou 1TD.

Por Rodrigo de Souza – @guinhosouza

Foto: Lucas Matos @LMionzinho.

Comentários (0)

Tags: , , ,

Semana 1 NFL Dolphins X Patriots

Postado dia 13 de setembro de 2011 by Pedro Martinez

Dolphins X Patriots

Um dos favoritos ao título do Super Bowl, o New England Patriots começou muito bem a temporada 2011. A vitória por 38 a 24 sobre o Miami Dolphins no Sun Life Stadium entra para a história da franquia graças ao quarterback Tom Brady, MVP da NFL em 2010.

O QB passou para 517 jardas, batendo a marca pessoal de 410 contra o Kansas City Chiefs em 2009. Brady também se tornou o líder na estatística na história dos Patriots, que pertencia a Drew Bledsoe, com 426 jardas em 1994. O feito foi o maior em um Monday Night Football.

Por pouco, Tom Brady ficou sem quebrar também o recorde da NFL. Em 1951, Norm Van Brocklin, do então Los Angeles Rams, passou para 554 jardas em duelo contra o extinto New York Yanks. Entre os dois estão Warren Moon (527 em 1990), Boomer Eslason (522 em 1996) e Dan Marino (521 em 1988). Brady acertou 32 de 47 tentativas de passe, com quatro touchdowns e uma interceptação.

Apesar da derrota, o Miami Dolphins demonstrou bom poder ofensivo. Chad Henne, quaterback dos donos da casa, fez um dos melhores jogos da carreira, ultrapassando recorde pessoal de jardas, com 416. A soma das marcas de ambos os QBs faz o confronto desta segunda-feira entrar para a história da liga como jogo com mais jardas aéreas, com 933.

Na próxima rodada, o New England Patriots enfrentará o San Diego Chargers no Gillette Stadium, em Foxborough. Já os Dolphins jogam novamente em casa, no Sun Life Stadium, desta vez contra o Houston Texans. Ambas as partidas acontecerão no domingo, às 17h15.

Fonte: ESPN.com.br

Comentários (0)

Tags: , , , , ,

Semana 11 TTD 2011 Resultados

Postado dia 12 de setembro de 2011 by Pedro Martinez

Vasco da Gama Patriotas (9) X Tubarões do Cerrado (6)

Torcedores dos dois times apareceram em peso, mas existiam muitos curiosos, como Cid Jorge que apesar de vascaíno, estava torcendo pelos Tubarões do Cerrado. “É a primeira vez que assisto a um jogo de Futebol americano e é o jeito torcer pro time da casa, mas vou ficar feliz também se o Vasco ganhar”, fala dividido.

Já Wesley estava decidido. “Sou vascaíno e não viro a casaca. Vou fazer muito barulho.”

O primeiro quarto de partida foi pouco movimentado. Ambos os times forçavam muito bem na defesa e não deixavam seu adversário conquistar jardas. Com isso, aconteceram três ou quatro punts (devoluções de bola) seguidos, de tão fechada que estava a defesa dos times.

As jogadas aéreas não surtiam efeitos e o Vasco da Gama Patriotas começou a apostar nas corridas. Foi então que Leduc, camisa 21 do Vasco, avançou jardas terrestres e conseguiu abrir o marcador no Estádio do CAVE. A tentativa vascaína de converter um Extra Point foi bloqueada pela defesa do Tubarões e eles não conseguiram ampliar o placar.

Após levar o único touchdown da partida, o time candango acordou para o jogo. Porém, a equipe ganhava jardas, mas não conseguia entrar na endzone para marcar o tão esperado touchdown.

No terceiro quarto de partida, aconteceu algo, até então, inédito na competição. O Vasco da Gama Patriotas sofreu seus primeiros pontos no torneio. O kicker Bill chutou um Field Goal de 39 jardas e diminuiu a diferença para os donos da casa. O placar apontava 06 a 03 para os vascaínos.

O Tubarões do Cerrado entrou no último quarto focado em vencer o jogo. O kicker Bill converteu mais um Field Goal, agora de 44 jardas, e deixou tudo igual no placar, 06 a 06.

A torcida esperançosa ainda acreditava em mais uma vitória dentro de casa. No meio do quarto período, o Tubarões estava na linha de nove jardas, era terceira tentativa para o goal. Caso não conseguisse a descida, teria a oportunidade de virar o jogo com um Field Goal de pouca distância.

Infelizmente o ataque azul falhou feio, deixou a bola escapar e o Vasco Patriotas recuperou um fumble. Faltava pouco para o jogo acabar e a torcida já se contentava em ir para o tempo extra.

Com menos de um minuto para o término da partida, o ataque cruzmaltino fez uma bela jogada pelo chão e foi parar na linha de 20 jardas. A única tentativa que restava para eles saírem vitoriosos era tentar converter o Field Goal.

E foi justamente isso que os cariocas fizeram. Roldan, número 77, chutou a bola entre as duas traves e confirmou a invencibilidade do Vasco, no último lance da partida. Fim de jogo na Capital Federal, 09 a 06 para o Vasco da Gama Patriotas.

Para Hélton, da equipe do Tubarões, o resultado do jogo não passou de uma fatalidade. “ É coisa de jogo. Houve equilíbrio o tempo todo, mas não deu dessa vez”.

Para Danette, do Vasco, o resultado foi uma mistura de superação e mérito.” Jogar com esse tempo seco sem ter costume e ainda conseguir ganhar de uma equipe tão boa quanto o tubarões foi uma espécie de superação e mérito também. Estou muito feliz”, conta.

Na próxima rodada, o Tubarões do Cerrado enfrenta o Corinthians Steamrollers, no dia 1º de Outubro, em São Paulo. Enquanto o Vasco recebe em casa, no duelo dos invictos, o Jaraguá Breakers, que venceu o Ribeirão Preto Challengers, nesta tarde de sábado (10), por 16 a 09.

Por Felipe Chaves/Clube do Esporte DF

Ribeirão Preto Challengers (9) X Jaraguá Breakers (16)

Depois de duas semanas de muita chuva em Santa Catarina, o sol apareceu forte no sábado à tarde em Jaraguá do Sul e foi um brilho a mais na festa de apresentação dos reforços do Breakers para o restante da temporada 2011. Além da estréia do QB #7 Dennis Prants como HC do time, os catarinenses ainda contaram com mais três novos jogadores, o FB # 32 Jamal (Ex-Panzers de Joinville), o Center # 51 Johnny (Ex-Riesen de Blumenau) e o LB # 49 William (Ex-Panzers de Joinville).

O jogo dois times foi muito parecido, baseado em corridas quase que o tempo todo. A principal diferença entre os dois foram as trocas de formações, enquanto os paulistas mantiveram o i-normal do começo ao fim, os catarinenses fizeram de 3 a 5 formações de ataque diferente, tentando confundir a defesa adversária e deu certo.

Após muitas corridas  do RB Glitz #22 e do FB Jamal #66 Jaraguá encosta a defesa Paulista na marca de 1 jarda e manda uma avalanche convertendo o 1º TD do jogo com o QB Bixiga #92. Conversão de ponto extra convertida por Hoffmann #13.  Após belas atuações das duas defesas, Hoffmann novamente converte um field goal de aproximadamente 30 jardas, ampliando o placar para 10 a 0.

O time paulista inicia uma reação que resultou em um TD de passe recebido pelo TE  #23 Vieira na end zone sem conversão de ponto extra.  E um field goal de mais de 35 jardas do K #28 Guedes que bota ares de drama ao jogo antes do half time deixando a partida em 10 a 9 para os catarinenses.

Novo ataque do Jaraguá Breakers  muitas corridas e apenas um passe curto, o Breakers chegou na linha de 27 jardas do campo de ataque  e surpreendeu a defesa do Challengers com um fake de corrida interna, o QB # 92 Bixiga fez o handoff  para o TE #18 Dalcanale que correu no weakside adversário dando a bola para o WR # 36 Everton correr aberto pelo Strong Side livre e fazer o 2º touchdown  do Breakers na partida. Extra point não convertido. 16 a 9.

Com menos de 4 minutos no relógio para o fim do jogo, a equipe de Jaraguá do Sul pesou seu Backfield e controlou o relógio deixando a bola com o Challengers na linha 20 do seu próprio campo, a defesa do Breakers entrou com um Nickle cobrindo bem o fundo e o passe foi interceptado por um dos destaques da defesa no jogo o SS # 30 Dreads.

Fonte: www.touchdown.net/

Comentários (0)

Tags: , , , , ,

Semana 10 TTD 2011 Resultados

Postado dia 05 de setembro de 2011 by Pedro Martinez

Vila Velha Tritões X Corinthians Steamrollers

Um evento organizado com a dedicação que já é marca do Campeão Brasileiro do Torneio Touchdown, o Vila Velha Tritões, trouxe mais de 2000 pessoas ao Estádio do Tupy em Vila Velha-ES, para o muito esperado encontro com o Campeão Paulista de 2011, o Corinthians Steamrollers.

Após uma abertura explicativa do jogo em campo por André José Adler, que narrava o 10º jogo seguido da equipe capixaba/canela-verde, a entrada do Timão levou quase ao delírio o pessoal da Camisa 12 que prestigiou em grande número e faixas a visita do seu time de coração.

Não foi menor a vibração na entrada colorida de fumaça laranja e fogos do Vila Velha Tritões, que já se tornou o grande orgulho esportivo vilavelhense, com grande apoio municipal e de toda a mídia do estado.

Na reunião em campo dos árbitros Marcelo, Binho Gasparini, Renan, Raphael e Tiago com os capitães do Tritões Big Bruno, Raony e Rodolfo, e os do Corinthians Frost e Ramon, ocorreu o “coin toss” com a moeda lançada por Luis Claudio Lula da Silva, o mais novo apoiador atuante do Torneio Touchdown. O Steamrollers venceu mas deferiu o direito de escolha para o time de Vila Velha, que escolheu receber.

Após o kickoff simbólico mais uma vez chutado pelo próprio Prefeito de Vila Velha Neucimar Fraga, sob as vistas do Secretário de Esportes Marcos Magalhães, deu-se início o jogo que mostraria um grande espetáculo de “football” para a alegria não só dos fans do esporte presentes, mas da equipe na cabine. Adler tendo ao seu lado outra vez como parceiro André Cruz, que comentou em Vila Belmiro a final do TTD 2010, e Vinny Menezes (Pouso Alegre Gladiators) teclando o play by play na Touchdown Net.

O primeiro drive do Tritões resultou em uma tentativa de Field Goal que foi bloqueada e o Corinthians começou a sua primeira campanha ofensiva na linha de 20 jardas. Com corridas do QB #9  KC Frost e  do RB #29 Jeff, o americano lançou o seu primeiro passe para o CB/WR #10 Calvin Taylor que foi incompleto e o time já iria para o punt não fosse uma falta de jogador de Vila Velha resultando num 1º down automático.

Esforços corintianos de avanço foram desperdiçados com mais faltas, até que após uma corrida sensacional do próprio Frost ganhando 25 jardas, o QB procurou novamente o CB/WR #10 Calvin Taylor e com um lindo passe de 36 jardas inaugurou o placar com o primeiro touchdown da partida. O Tritões conseguiu bloquear o ponto extra.

No drive seguinte do Tritões, apesar de 3 passes completos do QB #4 Big Bruno e duas corridas o time teve que ir para o punt e o Corinthians voltou com o ataque e o jogo aéreo. Dois passes incompletos começaram a animar a torcida de Vila Velha, mas um terceiro passe do Frost, lançado para o WR #89 Paulinho (um dos fundadores do Steamrollers ainda na era pré-timão) conquistou com suas 38 jardas um novo 1 & 10 para os paulistas. Com mais uma corrida curtinha do HB #29 Jeff, e um passe de Frost de 19 jardas para o WR #81 Darrell e o Corinthians chegou na linha de 2 jardas do Tritões.  Pelo meio, Frost achou correndo o caminho para a endzone e marcou o 2º TD dos visitantes na partida levando o placar para 12-0.

No seu próximo ataque, que começou após um lindo retorno de KO  pelo  WR #84 Alvaro sendo parado apenas na linha de 40 jardas, o Tritões chegou a se posicionar novamente para um FG, após um belo passe de 15 jardas do QB #4 Big Bruno para o WR #17  Danilo, sendo parado na linha de 16 jardas,  mas o chute foi novamente bloqueado.

A seguinte campanha ofensiva do Corinthians Steamrollers foi composta de  3 corridas do HB #22 Passarela, para resultar em touchdown corrido de Frost qua acabou anulado por um holding na jogada.  Mas era para acontecer e e o touchdown acabou acontecendo com um passe de 25 jardas do QB #9 Frost para o WR #81 Darrell num 4º  down. Desta vez o XP chutado  pelo  DL/K #99 Ramon deu certo e o placar foi para 19-0 Corinthians.

Após o retorno realizado pelo  LB/KOR #57 Roney Altoé, sendo parado na linha de 40 jardas e com um holding corintiano o  Tritões aproveitou o seu 1 & 10 na sua linha ofensiva  de 25 jardas, o QB #4 Big Bruno mandou um passe preciso para o WR #82 Alvaro e marcou enfim o seu 1º touchdown na partida, com direito a XP do CB/K #21 José, e a torcida de Vila Velha começou à reconhecer o seu time.

Corinthians foi novamente para o ataque, e uma boa sequencia de corridas do RB #22 Passarela e de Frost que também lançou um passe  para o WR #81 Darrell levaram os paulistas do Steamrollers à linha de 10 jardas.  Passarela correu então para o 4º TD corintiano levando o placar para 25-7.

Um retorno magistral do WR #84 Lauro posicionaria o Vila Velha Tritões na linha de 20 jardas, na redzone corintiana, faltando 31 segundos para o final do 1º tempo.  O RB #27 Lee correu para mais 9 jardas, mas na corrida seguinte cometeu um fumble que ele mesmo recuperou, mas o cronômetro mandou o jogo para o intervalo.

Enquanto a torcida curtia açaí, cervejas e refrigerantes e comprava camisetas do Tritões de um lado do campo, as pessoas na área VIP se deliciavam com frutas, refrigerantes, e cervejas servidas gratuitamente e a nata da mídia impressa e eletrônica do Espírito Santo fazia as suas fotos, vídeos e entrevistas.

O 2º  tempo começou com o Corinthians Steamrollers novamente no ataque, e num drive onde se destacou o RB #35 Brunão com 4 corridas, a última resultando em mais um touchdown para os visitantes levando o placar para 31-7, após o XP bloqueado.

O seguinte retorno do FB #30 Castor posicionou Vila Velha na sua linha defensiva de 38 jardas.  Mas Big Bruno foi interceptado no seu segundo passe neste drive pelo S #8 Demetri e o Corinthians voltou para o ataque saindo da sua linha defensiva de 25 jardas.

“The Frost Show” continuou com mais corridas e passes e o final deste drive resultou num passe de Frost, que escapou de vários esforços da defesa do Tritões para acabar com a sua incrível habilidade de se desviar, para o  WR #81 Darrell marcando o 2º TD do Corinthians no 2º tempo e levando o placar para 38-7.

No  4º quarto, com uma diferença de mais de 30 pontos, encontrou o Vila Velha Tritões no ataque já jogando sob a “Mercy Rule”.  Após um festival de faltas que começou ainda nos últimos minutos do 3º período, não demorou muito para o FB #30 Castor, do Tritões, correr para um TD capixaba/canela verde e suspender a “Mercy Rule com 38-14 no placar após o XP convertido pelo K #21 José.

O QB #7 Cauê (também um dos fundadores do Steamrollers), entrou para substituir Frost bem na hora que a equipe do Vila Velha Tritões pegou o ritmo que levou o time ao campeonato do Torneio Touchdown 2010 e o que se viu foi um show de bola oval.

Aconteceu de tudo, inclusive mais interceptações do S #8 Demetri do Corinthians (que acabaria o jogo co m 4 INT), e mais um touchdown do Tritões com uma corrida do WR #82 Alvaro levando o placar para 38-21.

Nada descreveria mellhor o final do jogo do que a descrição emocionada do Vinny Menezes teclada no play by play:

(4Q (38 x 21)) – temos jogados 7 min e 22 segundos…sera que da tempo para o tritões empatar? a torcida esta empurrando o time!

(4Q (38 x 21)) – EXCELENTE CHUTE DO JOSE!!! Pegaram o Darrel na linha de 10 jardas – houve flag na jogada – invasão da side line do corinthians – 1 down na linha de 5 jardas – KC de volta a campo e ja correndo, ganhando 8 jardas – 2 down para 12 jardas

(4Q (38 x 21)) – passe conectado – 3 down na linha de 18 jardas

(4Q (38 x 21)) – a defesa do tritões esta ligadona no jogo!!! botou KC pra correr da sua DL e foi pego na linha de 17 jardas!!! 4 down para 6 jardas – Vai para o punt o steam

(4Q (38 x 21)) – UAU!!!!!!!!!!!!!!!!!! que retorno de punt!!!! Saulo,que fez o TD na final do TTD em 2010 avançou nada menos do que 40 jardas e bota o tritões na linha de 17 jardas do campo ofensivo!!!! 9 min e 37 segundos jogados!

(4Q (38 x 21)) – INTERCEPTAÇÃO DO #8 DEMETRI – segunda int que Big Bruno sofre hj!

(4Q (38 x 21)) – Steam na linha de 16 defensiva – INTERCEPTADO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! TRITÕES RETOMA A BOLA COM TRAPÉZIO!!!! TRITÕES NA LINHA DE 40 JARDAS!!!! 2 MINUTE WARNING

(4Q (38 x 21)) – AMIGOS,QUE JOGO!!!!

(4Q (38 x 21)) – INTERCEPTAÇÃO NOVAMENTE!!! E NOVAMENTE DEMETRI #8 – Uma jogada de fake onde o WR Alvaro fez o passe procurando o Glauber dentro da end zone – flag na jogada

(4Q (38 x 21)) – conduta antidesportiva corinthians – recua metada da distancia saindo da linha de 1 jarda defensiva

(4Q (38 x 21)) – corrida pela direita de Passarela com avanço de 2 jardas tentando gastar o tempo. Linha de 4 jardas

(4Q (38 x 21)) – FINAL DE JOGO

Com a sua segunda vitória, o Corinthians vai para um saldo de 51 pontos na Conferência George Halas e permanece invicto junto com o Corupá Buffalos, Vasco da Gama Patriotas e Jaraguá Breakers. Seus próximos jogos serão contra o Tubarões do Cerrado, Timbó Rhinos, e Santos Tsunami, que como o Vila Velha Tritões, são da Conferência Walter Camp.

O Tritões, com  um saldo de 39 pontos, continua na liderança da Conferência Walter Camp que não tem mais nenhum time invicto. Jogará ainda contra o Uberlândia Lobos (Conf. George Halas) e o Tubarões do Cerrado.

O Torneio Touchdown vai em frente!

Fonte: Touchdown.net

ABC Corsários X Curitiba Hurricanes

E no segundo jogo em casa do time do ABC São Pedro colaborou. Uma bela manhã, com sol e nenhuma nuvem no céu, uma tarde perfeita para um excelente jogo de Futebol Americano, que era o que os dois times ofereciam, já que ambos os times buscavam a sua primeira vitória no Torneio Touchdown. Um bom público no Estádio Primeiro de Maio em São Bernardo do Campo, um gramado impecável e todos ansiosos para o início da partida.

O jogo prometia ser muito disputado, pois os pontos fortes das duas equipes eram as suas defesas bem treinadas e sólidas.

O jogo começou com o chute do Hurricanes e com um bom retorno do Corsários. Mas esta posse de bola não foi bem aproveitada pelo time dos piratas, com uma corrida para nenhum ganho, um passe incompleto e um sack o time do ABC foi obrigado e realizar o primeiro punt que foi retornado até a linha de 35 jardas do campo pirata.

A defesa do Corsários parecia meio desligada, não estava atenta como costumamos vê-la em todos os outros jogos do time. Logo o time de Curitiba fez o first down com uma corrida de 13 jardas.  Hurricanes corre 5 jardas, depois nenhum avanço e já inaugura o placar, com uma excelente corrida do QB#8 Ovo. A defesa do Corsários trabalha muito bem e o Extra Point é bloqueado pelo LB#53 Leitão.

Na posse de bola seguinte o time do ABC chega a ficar a 3 jardas para o first down quando seu QB#12 Cauã é sacado e sofre um fumble, já no segundo quarto. O time de Curitiba recupera a bola para TD e converte o extra point, deixando o placar em 13 a 0.

A defesa do Corsários trabalhou muito bem e nas duas posses de bola seguinte causou dois fumbles, mas não conseguiu recuperar nenhum deles, o ataque dos curitibanos está ligado e conseguiram recuperar as duas bolas.

Depois de um passe quase interceptado pelo safety do Corsários, #26 Spirit, a defesa do conseguiu obrigar o time do sul a optar pelo Punt. Mas novamente a defesa do Hurricanes mostrou porque é considerada uma das melhores do país, depois de uma corrida do RB#83 Minhoca, sacou novamente o QB#12 Caua. Faltando apenas 40 segundos para acabar o segundo quarto o time do ABC tenta uma quarta descida mas não obtém sucesso, o ataque do Curitiba pega a bola já no meio de campo, depois de dois passes muito bons do QB#8 eles ficam a 2 jardas do terceiro Touchdown, que acaba acontecendo com outra corrida do QB Ovo, utilizando toda a força da sua Offensive Line. Depois do TD eles tentam uma conversão de dois pontos mas a defesa do Corsários não permite o sucesso deles nesta tentativa.

Primeiro tempo de jogo termina com o placar de 19 a 0 para os Hurricanes.

No começo do terceiro quarto o Curitiba abusa do seu jogo corrido e consegue grandes avanços de 25 e 10 jardas. A torcida incentiva o time da casa, o que os mantém motivados. As duas próximas corridas foram paradas pela defesa pirata. Hurricanes tentam furar a defesa adversária, mas esbarra em excelentes táticas e jogadores, com tackles fortes conseguem segurar o ataque curitibano.  Em uma tentativa de passe o safety #24 Godines intercepta a bola e leva o Corsários para a linha de 23 jardas do seu campo de defesa.

O ataque do Corsários começou a produzir bem, com uma excelente corrida de 17 jardas do #83 Minhoca e um passe para o WR#10 Zanata, os Corsários conseguem dois first downs, mas logo em seguida o seu QB é sacado novamente no terceiro down, obrigando os a chutar mais uma vez e devolver a posse de bola ao time adversário.

O 4º  quarto começou com muitas faltas para os dois lados, fazendo com que a bola andasse e voltasse diversas vezes por este motivo. Ataque do Hurricanes parece nervoso e chega a ficar em uma terceira para 21 jardas. Eles conseguem se aproximar o suficiente para no quarto down tentar um Field Goal. Field Goal para fora, graças a pressão da defesa pirata, e o ataque paulista recupera a bola na linha de 20 jardas do seu campo.

Logo na primeira tentativa de avanço a defesa curitibana consegue forçar e recuperar um fumble, deixando a defesa do Corsários com as costas na parede. Uma excelente corrida do RB#22 Munhoz pela direita e é mais um touchdown para os Hurricanes, após o TD tentam mais uma conversão de dois pontos mas sem sucesso novamente.

Neste momento as duas defesas mostram as suas forças, nenhum dos dois times consegue grandes avanços, seja por corridas ou passes. O QB do Corsários mostra algumas boas jogadas com muitos play actions o que confunde um pouco a bem estruturada defesa do Hurricanes.

O alvo principal do QB pirata é o TE#88 Vinny, mas com isso as suas rotas começam a ser muito bem marcadas pela defesa adversária, dificultando muitos os passes para ele.

Nenhum dos dois ataques consegue produzir e o jogo termina com o placar de 25 a 0 para o Curitiba Hurricanes contra o ABC CORSÁRIOS.

Não foi dessa vez que o time Paulista conseguiu a sua primeira vitória mas a melhora no time é evidente, um time em formação e que promete muito para os próximos anos. Já o time de Curitiba mostrou mais uma vez a força da sua defesa e não deixou os piratas pontuarem.

O público incentivou o time da casa do início ao fim com cantos e muitos gritos, os Corsários agradeceram o apoio ao término do jogo e se confraternizaram com os curitibanos, mostrando que o jogo foi limpo e muito bem jogado, as duas equipes saíram de campo de cabeça erguida depois de um excelente espetáculo para as 400 pessoas presentes.

O Curitiba Hurricanes vai enfrentar ainda o Palmeiras Locomotives, o Corupá Buffalos, e o Timbó Rhinos. O ABC Corsários encerra a sua temporada de estréia no Torneio Touchdown recebendo o Jaraguá Breakers em 29 de outubro.

Fonte: Touchdown.net

Comentários (0)

Anuncie Aqui

Fotos no Flickr

Veja + fotos

Anuncie Aqui
Curta o Diggers no FacebookAdicione o Diggers no Orkutsiga o Gravediggers

.

Fãs no Facebook