Arquivo | fevereiro, 2011

Tags: ,

Campo Grande Gravediggers no Tánaweb

Postado dia 28 de fevereiro de 2011 by Pedro Martinez

E cada dia que passa somos citados em mais mídias por aí.

Dessa vez o site que informa eventos Tánaweb escreveu sobre a prática do FA e sobre nossa equipe que cresce cada vez mais e orgulhosos ficamos por sermos reconhecidos.

Leiam:

” Mexa-se! Você nem imagina quanta coisa boa tem a ganhar se começar a praticar um esporte. E que tal começar a jogar futebol americano em Campo Grande? É isso mesmo! Famoso nos Estados Unidos, esse esporte vem crescendo muito em nossa Capital.  Mas se você estiver pensando que não entende nada sobre ele, mas já viu em filmes e até brincou de jogar o “tal” futebol com as mãos, a gente lhe dá algumas dicas.

Ou melhor, o Presidente da Associação Campo Grande Gravediggers de Futebol Americano, Marcelo Alves Batista, revela alguns detalhes.  A princípio, esse esporte, que ainda desperta muita curiosidade nas pessoas, é cheio de contrastes. “Não importa se você é magro ou gordo, alto ou baixo, forte ou fraco. No futebol americano cada posição tem suas peculiaridades; por exemplo, se você é mais cheinho, jogará melhor nas linhas de ataque e defesa; já os jogadores mais magros vão se sair bem nas posições de recebedores (wide receivers) ,laterais (corner backs) ou líberos (safeties)”.

Uma partida de futebol americano é inicialmente formada por 22 jogadores. O jogo disputado em um campo, que pode ser com grama natural ou artificial, é dividido em jardas (unidade de comprimento bastante utilizada nos EUA e na Inglaterra, que equivale a 0,914 metros). O objetivo é avançar pelo lado adversário e marcar pontos. As linhas laterais grandes do campo marcam 10 jardas. Em quatro tempos de 15 minutos, há duas maneiras principais de se pontuar.

Uma delas é fazendo o Touchdown – tipo mais venerado de pontuação – onde o time tem direito a uma jogada na linha da End Zone (área de proximidade do gol); e o Field Goal, que vale 3 pontos, é conquistado colocando a bola no chão e a acertando entre as traves verticais  atrás desta zona de finalização.

Tecnicamente falando o jogo parece ser bem difícil. Mas para Marcelo, que coordena desde o começo deste ano o Gravediggers – primeira equipe de Futebol Americano de Mato Grosso do Sul – conta que estranho mesmo são somente os nomes das posições. Na prática, o jogo em si, além de muito divertido, estimula o raciocínio e a velocidade dentro do campo.  “Os jogadores precisam ser técnicos. O jogo é baseado em muitas estratégias, então é preciso gostar disso e principalmente, de correr”, conclui.

E quem pensa que o esporte é violento esta enganado. O contato que os jogadores têm em uma partida é extremamente competitivo. O jogo em si é coletivo, estratégico e planejado tanto no time de ataque quanto no time de defesa. Eles usam equipamentos necessários para se protegerem, como capacetes, protetores de boca, pescoço e ombreiras, tanto nos treinos quanto nos jogos.

Por mais que a prática esportiva só lhe faça bem, tanto para o físico quanto para a mente, mas  você ainda tem dúvidas a respeito desse esporte, o próprio Marcelo lhe convida para assistir a um treino do Gravediggers.

“Atualmente treinando conosco temos em média 25 jogadores. O ideal é ter o dobro, por isso, convido a todos que se interessam pelo esporte a nos visitar, conhecer melhor sobre esse esporte fascinante. Nossos treinos acontecem todas as quartas-feiras das 18h30 às 20h30 e aos sábados das 15h30 às 18h30 no novo Gol de Placa que fica na Rua 2 de Março, n° 255 – Bairro Taquarussu.”

Tá dado o recado Marcelo!

Em Tempo – Este ano será realizado três campeonatos no Brasil com mais de 30 times equipados e jogando da mesma forma que se joga nos Estados Unidos. Fiquem ligados! “.

Matéria publicada em 26/02/2011 pelo site Tánaweb.

Comentários (0)

Tags: , , ,

Temporada NFL 2011 vai rolar?

Postado dia 28 de fevereiro de 2011 by Pedro Martinez

A briga entre a NFL e o sindicato dos atletas continua rendendo bastante lá pros lados da terras do Tio Sam e continua um disse-me-disse interminável que põe em risco o acontecimento da Temporada 2011-2012.

Sílvio Santos Jr., comentarista do canal por assinatura BANDSPORTS, explica a respeito dessa briga no post publicado no site Snap!.

Leia:

“Já são seis dias de negocição, num total aproximado de 46 horas de reuniões, entre a NFL e a NFLPA. O objetivo é formatar o novo acordo trabalhista entre os jogadores profissionais de futebol americano e a liga. Mas para que um novo acordo seja desenhado muita gente tem que ficar feliz (leia ganhar o seu!). Desde a quinta-feira passada, o caso tem mediação federal e ambas as partes se comprometeram em um “regime de internação”, ou seja, durante toda semana não falariam de mais nada, que não, o novo acordo.

A coisa tá quente nos EUA.

Segundo reports de vários sites que acompanham o caso in loco, as negociações já tomaram vários rumos diferentes. Mas ninguém sabe ao certo “em que pé está”. Eu repito NINGUÉM SABE. Basta assistir aos noticiarios da NFL.com e ouvir os programas de rádio da ESPNradio.com. NADA! Tudo especulação. Com poucos ou nenhum comentário de ambas as partes, todos estão às escuras.

Mas se você é como eu, que fica imaginando o que deve estar se passando lá dentro, vai gostar do que eu descobri. Fui pesquisar um pouco como “essas mediações são feitas” e a coisa tá rolando, mais ou menos, assim lá em Washington:


Basicamente, funciona assim:

São 3 salas independentes.

* Uma sala exclusiva para NFL.
* Uma sala exclusiva para NFLPA.
* Uma sala comum, aberta para negociações, mediada pelo Sr. George S. Cohen

O único a poder transitar em todas as salas é o mediador. O Sr. Cohen, funciona como “um leva e traz” do bem. Por ter acesso à todas as informações de ambas as partes, ele “pode ajudar” em alguns detalhes importantes. Como? Se o ponto em discussão é o quanto pagar/cobrar por um refrigerante, por exemplo.

A NFL quer pagar entre US$ 0,90 e US$ 1,20.

A NFLPA quer vender entre US$ 1,15 e US$ 1,50.

É claro que ninguém vai abrir seu máximo e seu mínimo diretamente, mas o mediador conhece as margens das duas partes. Ele pode chegar para a NFLPA e “influenciar” (ISSO É MUITO IMPORTANTE: o papel dele é mediar, ele não toma NENHUMA DECISÃO para nenhum lado, ele simplesmente ajuda à chegar à um denominador comum) que qualquer coisa acima de US$ 1,20 está fora de questão para a outra parte. O mesmo acontece com a NFL, ele pode sugerir que US$ 0,90 não é uma realidade interessante para o outro lado. É claro que este é só um exemplo, bem simples e exagerado. A coisa certamente não é tão descarada, mas deu pra pegar o espírito, certo?

Todos os pontos são discutidos na sala comum, quando um impasse é alcançado, cada entidade vai pra sua sala exclusiva rever o que foi discutido e chegar à um consenso. É nessa hora que entra o mediador, de sala em sala. Quando todos estão confortáveis com o acordo daquele ponto específico, o próximo tema começa a ser discutido.

Deu pra ter uma idéia? Comente… qual sua expectativa, será que sai acordo?”.

http://www.snapfutebolamericano.com/

Comentários (0)

Curso de Árbitros 2011

Postado dia 23 de fevereiro de 2011 by Pedro Martinez

A AFAB – Associação de Futebol Americano do Brasil, está promovendo um curso online para árbitros de Futebol Americano. O curso terá início no próximo mês de Março e abaixo está o que cada interessado precisa fazer para participar.

Você deverá seguir os seguintes passos:

1) Fazer o pagamento da taxa de R$20,00 através de transferência para uma das seguintes contas:

Caixa Economica Agência 2763 Operação: 001 Conta 1260-5
ou
Banco do Brasil Agência 1629-2 Conta 33.331-X

2) Enviar o comprovante de pagamento para sampaiomarcelo@gmail.com

3) Você receberá em até 72 horas um formulário para preencher com suas informações.

4) Até dia 10/03 você receberá uma senha de acesso ao site e informações de como se conectar.

5) até o dia 04/03 você tem que entregar o comprovante de inscrição pelo e-mail no passo 2.

Comentários (0)

Tags: , , , ,

Green Bay Packers é o vencedor #SB45

Postado dia 07 de fevereiro de 2011 by Pedro Martinez

Finalmente ontem, dia 6 de Fevereiro de 2011, saiu…saiu o grande campeão do Super Bowl XLV. Depois de uma longa temporada, repleta de zebras e palpites ao acaso que nem passaram perto de acontecer uma franquia conseguiu o almejado anel e o lindíssimo troféu.

A cidade de Arlington, no Texas ficou totalmente pintada de verde e amarelo…e não era por causa do Brasil.

As duas equipes que protagonizaram a disputa, Pittsburgh Steelers e Green Bay Packers, entravam em campo quase como irmãos se pensássemos no seu passado oriundo: ambos são franquias que nasceram da união de travalhadores e operários que montaram um time. Packers, os empacotadores; Steelers, os metalúrgicos – representates da povo norte-americano que se esforça todo dia para sustentar sua família.

Mas de irmãos não tinham nada além.

Antes da partida começar a situação de cada um era bem diferente: Green Bay Packers era a equipe inexperiente, desde que a NFL existe foram 3 vezes campeões – antes da NFL ganharam 12, e depois da era Brett Favre ainda não tinham ido muito longe, sem contar que apenas dois jogadores da equipe tinham estado num Super Bowl. Já o Pittsburgh Steelers tinham muita história – haviam levado o caneco 6 vezes na Liga; o #QB Big Ben buscava o 4º anel; o #WR Hines Ward já fora MVP, e 25 de seus jogadores já haviam disputado uma final.

Alheio aos retrospectos, o que celebridades como Jennifer Aniston, Adam Sandler e George W. Bush viram foi bem diferente.

O mais experiente, Steelers, acabou por ser quem mais pecou.

O primeiro tempo foi inteiramente do Green Bay Packers. Começaram no kickoff chutando para o Pittsburgh que não conseguiram nem a primeira descida, mostrando que a defesa comandada por Clay Matthews não estava para brincadeiras. Já no drive inicial dos Packers o #QB Aaron Rodgers consegue o firstdown passando linda, e longamente para o #WR Donald Driver e ele continuaria acertando, e muito bem seus passes.

0 x 0 perdurou até os 4 minutos e 30, quando o #WR Jordy Nelson recebeu um passe de 26 jardas de Aaron Rodgers para abrir o placar. Depois disso, a bola foi para Pittsburgh e ali aconteceria um dos 3 turnovers que ajudaram a decidir o futuro do campeonato. Big Ben, o #QB dos 3 anéis, pressionado contra a parede, correndo risco de sofrer um safety, lançou de qualquer jeito para frente e o #FS Nick Collins interceptou – pela primeira vez na temporada, e correu diretamente para a endzone.

Steelers ameaçou reagir mas só o que conseguiram foi um FG de 33 jardas com o #K Shaun Suisham.

As notícias ruins começariam a aparecer então, para os dois times. Pittsburgh perderia o #WR Emannuel Sanders e o Green Bay veria seu #WR Donald Driver ir pro vestiário mais cedo.

E outra pior ainda vinham para o lado do #QB Big Ben contra o Steelers: o #CB Jarrett Bush intercepta um passe longo e trás Aaron Rodgers de volta ao campo e os torcedores do Green Bay vêem o placar aumentar com o #WR Greg Jennings, até então sumido.

Acabaria assim o primeiro tempo? 21 x 3? Nunca na história da NFL alguma equipe havia vencido o Super Bowl por mais de 10 pontos e se o ritmo continuasse assim a primeira vez aconteceria.

Mas Steelers não entrariam na história por isso e após alguns bons passes, e a lesão do ótimo defensor #CB Charles Woodson do Packers, conseguem um TD com o veterando #WR Hines Ward antes do primeiro tempo acabar que ainda dava chances aos donos da toalhinha infernais.

21 a 10.

Começaria então o Halftime Show da Bridgestone, tradicional dos Super Bowl. Após várias ediçôes de rock, finalmente voltou o pop. Black Eyed Peas desceram literalmente dos céus para um iluminadíssimo grande palco com roupas futuristas cheias de piscas espalhados em sincronia com bailarinos brilhando em verde começaram cantando o que seria um remix de 3 músicas próprias além uma do Guns N’ Roses com a participação do guitarrista Slash e outra do R&B Usher. A apresentação ficou emocionante quando se pode perceber que o palco na verdade, agora iluminado em vermelho, era em formato da palavra Love. Apresentação breve, porém marcante e inspiradora para o segundo tempo.

Steelers começou bem e parecia decidido a mudar a história do jogo tentando se tornar o único time a dar uma reviravolta num placar de 11 pontos e ser campeão. O #RB Rashard Mendenhall tratou de iniciar a pontuação rumo ao objetivo quase impossível e correu 8 jardinhas para marcar seu TD. Nessa altura as nuvens de positividade pairaram um pouco sob o céu do Steelers que além de encostar no placar melhoraram bastante na defesa e conseguiram conter bem os avanços do Packers. Tudo parecia diferente até essa altura, certo? Errado.

O mesmo Mendenhall, herói de outrora, tapou o lindo Sol que iluminava as boas ações do Steelers a soltou a carne quando não devia resultando em fumble, o 3º turnover do time que tinha mais experiência. Bobagem feita e ducha de água fria molhando Pittsburgh quando o #WR Greg Jennings do Green Bay recebeu um passe de 8 jardas vindo de Aaron Rodgers – jogada que praticamente carimbou que o #QB deveria ser o MVP do Super Bowl, se Packers confirmasse a vitória, já que ele converteu os 3 turnovers em TD.

Pensariam vocês que a essa altura o Steelers amuaria e desistiria, certo? Errado outra vez. Alma trabalhadora, como a de brasileiro, não desiste nunca e isso deixaria a emoção para o final. Tentando jogar nas últimas chances tudo o que não jogou na partida toda, o #QB Big Ben – que havia completado 25 de 40 passes para dois touchdowns e 2 interceptações, na raça, habilidade e correria dos companheiros levou o Pittsburgh a mais TD com o #WR Mike Wallace recebendo um passe de 25 jardas e a uma conversão de 2 pontos com o também #WR Antwaan Randle El. Eram só 3 pontos atrás.

Estragando com as esperanças do Steelers novamente Packers pontua através de um FG de 23 jardas do #K Mason Crosby, que seria o último ponto da partida.

Pittsburgh ainda teve a chance de entrar para a história. Se fizessem um TD e acertassem o XP passavam a frente no placar. Mas após 4 drives a favor, nada fizeram e saíram derrotados na partida.

Merecidamente então, como o próprio técnico do Steelers afirmou, o Green Bay Packers, que chegou aos playoffs como cabeça de chave número 6, por conta das inúmeras contusões que prejudicaram a equipe ao longo da temporada regular como Aaron Rodgers, Clay Matthews e Ryan Grant – que perderam partidas por lesões, mesmo menos experiente em Super Bowl venceu todos os seus jogos fora de casa nos playoffs e conseguiu conter o ataque comandado por Ben Roethlisberger, evitando o terceiro título em cinco anos de Pittsburgh e e se tornaram a segunda equipe a chegar na pós-temporada como cabeça 6 e levar o título (a outra havia sido justamente o Pittsburgh, em 2005).

O #QB Aaron Rodgers dos Packers foi escolhido o MVP do Super Bowl 45 completando 24 de 39 passes, sendo três deles resultantes em touchdowns, para 304 jardas aéreas.

Final: Green Bay 31 X Pittsburgh 25.

Comentários (3)

Tags: , , ,

Super Bowl 45 Halftime

Postado dia 05 de fevereiro de 2011 by Pedro Martinez

Como já informei, amanhã, domingo, dia 6 de fevereiro de 2011 acontecerá a grandiosa final da NFL, o Super Bowl em Arlington, Texas entre Pitsburgh Steelers e Green Bay Packers com transmissão do BANDSPORTS as 21h, horário do MS.

Mas como em todo ano, além da esperada disputa no campo, há muita expectativa para saber quem foram os escolhidos para cantar o hino nacional norte-americano e no Halftime Show, o espetáculo de um artista no intervalo da partida. Afinal, o dia é de festa e de eventos grandioso os habitantes da terra do Tio Sam entendem muito bem.

Desde o primeiro Super Bowl, em 1967, houve uma preocupação em tornar essa final do campeonato muito mais do que só um evento esportivo e sim um evento de entretenimento que chamasse bastante atenção. Por isso, desde o começo a idéia é sempre haver alguma apresentação seja musical, de dança ou algum artista fazendo o que quer que seja interessante. Já tocaram nesse intervalo Michael Jackson, Paul McCartney, U2 e até se apresentaram artistas como Adam Sandler, Chris Rock e Ben Stiller.

Para este ano, em anúncio feito durante um jogo onde New Orleans Saints e Dallas Cowboys, revelou-se que a banda Black Eyed Pead seria a escolhida para se apresentar no Bridgestone Halftime Show in Super Bowl XLV com os convidados especiais Slash (ex-guitarrista Guns N’ Roses e atual Velvet Revolver) e o cantor pop Usher.

Responsável pelo hino nacional norte-americano foi escolhida a cantora pop Christina Aguilera nascida em Rochester, Pennsylvania pertinho de Pittsburgh que inclusive já cantou no show do intervalo.

Na perfomance antes do jogo teremos o compositor e cantor australiano Keith Urban e a banda norte-americana Maroon 5.

E por fim, o lead-out program, o programa de tv que passa após o jogo, sendo o de maior audiência do dia, foi o musical Glee.

Assim como a partida, esses shows são imperdíveis e que venha o Super Bowl 45.

Comentários (1)

Tags: , , , ,

Super Bowl 45 NFL

Postado dia 04 de fevereiro de 2011 by Pedro Martinez

O grande dia do quebra-canela da bola oval está muito próximo de acontecer. A maravilhosa decisão da National Football League, o Super Bowl 45 será nesse domingo, dia 6 de Fevereiro em Arlington no Texas no novo estádio do Dallas Cowboys.

Será um confronto histórico entre duas das grandes, quiçá maiores franquias da Liga: o Pittsburgh Steelers, que é o maior vencedor da história da NFL com 7 títulos contra o Green Bay Packers, time do lendário e já aposentado (finalmente) Brett Favre que corre atrás do 4º caneco da Liga.

De tão único que é, esse Super Bowl poderá contar, inclusive, com a presença ilustre do Presidente Barrack Obama, sendo ele o único presida a acompanhar uma final in loco.

A partida terá transmissão ao vivo do canal por assinatura BANDSPORTS a partir das 21h, horário do MS.

Pittsburgh Steelers

Chegam ao Superbowl 45 com uma ótima campanha de 12 vitórias e 4 derrotas, sendo que foram os campeões da Divisão e venceram, logicamente, seus 2 jogos de Playoffs.

Em sua maioria as atuações foram boas principalmente por causa do #QB Big Ben que vai atrás do seu terceiro anel. Steelers têm se saído muito bem nas últimas temporadas sendo essa a segunda decisão de Campeonato em 3 temporadas. Para ajudar Roetlhisberger ótimos alvos o esperam em profundidade como Brown, Emmanuel Sanders e Mike Wallace.

Além deles o time de Pittsburgh também tem o vovô craque Hines Ward, que já foi MVP do Super Bowl 40, que apesar de não ter se saído brilhantemente bem nessa temporada, sempre preocupa bastante as defesas e, mesmo quando não faz nenhuma jogada espetacular resultando em ponto, acaba por chamar as atenções para si deixando livre seus companheiros.

A defesa do time também é impressionante em seus números, sendo o melhor da NFL pela liderança em alguns itens das estatísticas como: somente cinco TDs terrestres sofridos, apenas 62,8 jardas pelo chão por partida, 6,3 jardas aéreas aos rivais em média e permissão de pequeninas 3 jardas por tentativa contra os rivais.

Comandando essa arma toda da defesa veremos Troy Polamalu que mesmo com a contusão do tendão de aquiles é explosivo a qualquer momento decisivo do jogo. Desde 2008, Pittsburgh acumula 31 vitórias e apenas oito derrotas com o camisa 43 em campo. Com ele fora do time, foram seis vitórias e sete derrotas.

Os donos das toalhinhas amarelas terríveis são bem acostumados com grandes decisões e prometem não desistir nunca de levar esse título.

Green Bay Packers

Chegam ao Superbowl 45 com campanha mais contida de 10 vitórias e 6 derrotas na Temporada Regular, sendo que da disputa do wildcar e venceram, logicamente, seus 3 jogos de Playoffs.

O camisa 12 do Packers, que substituiu muito bem o lendário Brett Favre, #QB Aaron Rodgers foi decisivo em todos os jogos dos playoffs sendo um dos principais culpados por Green Bay estar no Super Bowl. Ele, nas vitórias fora de casa sobre Philadelphia Eagles, Atlanta Falcons e Chicago Bears Rodgers acertou 78% dos passes que tentou, para 546 jardas, 6TDs e 2 interceptações. Rodgers soma 10 TDs nas primeiras três partidas de mata-mata da sua carreira, o que é um recorde da NFL.

Além do #QB, o Packers ainda tem o #RB James que no primeiro jogo dos playoffs contra o Atlanta Falcons correu magníficas 123 jardas em 23 tentativas, sendo até então o reserva estreante em Pós-Temporada, fato esse que carimbou-o como um jogador perigosíssimo em decisões.

Na defesa, assim como o Steelers, Green Bay é de arrepiar os cabelos já que até agora conseguiu treze sacks nos três jogos do mata-mata disputados até aqui, foi a chave para a vitória na última rodada da temporada regular. Packers sofreu apenas 15 pontos por jogo, segunda melhor marca de toda a liga, atrás só do Pittsburgh Steelers. A equipe foi a mais eficiente da Conferência Nacional derrubando os QBs adversários (47 sacks) e interceptando lançamentos (24) e também protegeu muito bem contra o passe.

Um dos grandes nomes dessa defesa é o Diabo Loiro, o metaleiro Clay Matthews – 13,5 sacks na temporada regular e mais quatro em três partidas do mata-mata – parece em sua melhor forma no ano.

Agora Rodgers quer entrar para a história dando o título ao Green Bay que está com saudades de vencer e lembra de Favre só como um grande passado.

*Fonte das fotos: http://espnbrasil1.espn.com.br/superbowl45

*Fonte dos números: http://espnbrasil.espn.com.br/everaldomarques

http://www.nfl.com/

Comentários (0)

Anuncie Aqui

Fotos no Flickr

Veja + fotos

Anuncie Aqui
Curta o Diggers no FacebookAdicione o Diggers no Orkutsiga o Gravediggers

.

Fãs no Facebook